Pratas da Casa

 

Foto: Vitor Fernz

Foto: Vitor Fernz

Gala dos Premiados mostra um pouco do resultado de 25 anos de história com apresentação de ex-alunos.

Por Simone Andrade –

A noite mais a

guardada do XXV Seminário Internacional de Dança de Brasília iniciou com homenagens. Na lista, professores, embaixadas, mídia, empresas e entidades parceiras receberam, de Gisèle Santoro, as devidas homenagens pelos 25 anos de apoio ao evento. E para abrilhantar a noite, os espetáculos com bailarinos que partiram do Seminário para o mundo e hoje seguem carreiras de sucesso na dança.

Da plateia, cerca de 800 pessoas assistiram aos espetáculos com os bailarinos: Tamirys Candido e Christian Casarin; Mônica Proença e Davi Rodrigues; Marlúcia do Amaral e Alexandre Simões; Thiago Burdin; Bruna Andrade e Flávio Salamanka; Karen Mesquita e Cícero Gomes; e os bailarinos da São Paulo Companhia de Dança. Destes, apenas Cícero não foi aluno premiado no Seminário.

“Hoje, foi maravilhoso!”, exclamou Flávia Pereira, que veio do Rio de Janeiro para acompanhar a filha no Seminário. Outro expectador assíduo é Gabriel Gomes. Há oito anos, Gomes comparece aos eventos abertos do Seminário. “Nunca participei como aluno, mas gosto demais do Seminário, da proposta, venho todos os anos às programações abertas”, explica.

Entre as críticas, Gustavo Madubuike, aluno do Seminário, disse ter gostado muito dos espetáculos. “Só senti falta de uma apresentação com mais energia”, disse o bailarino.

As apresentações foram ovacionadas. A que mais empolgou a plateia foi Chamas de Paris, com Karen Mesquita e Cícero Gomes, solistas do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. “Eles foram perfeitos!”, observou o bailarino e aluno do Seminário, Renan Gonçalves. “E como sou do Rio não posso negar que sou fã e me espelho neles”, finaliza.

HOMENAGENS

A coordenadora do Seminário, Gisèle Santoro, comemorou os 25 anos de existência agradecendo àqueles que colaboram para que o Seminário aconteça.

Entre os parceiros do Seminário, o Conjunto Nacional, representado por Cláudia Durães. “Acompanho o trabalho da Gisèle há muitos anos, ela é uma guerreira, tenho muito orgulho do trabalho que ela desenvolve. Olha esse trabalho que ela faz há 25 anos. Isso beneficia não só a arte em Brasília. Isso é uma contribuição para o país.”

Lucas Odoni, da Petrobrás, também compareceu ao evento. “É muito importante pra nós apoiar a cultura. Como fui bailarino, é um grande prazer estar entre os melhores, a vontade é participar como bailarino, mas este tempo já se foi”, lembra com saudades.

Este é um evento da Secretaria de Estado da Cultura do Distrito Federal em parceria com a Associação Cultural Claudio Santoro.

Este evento faz parte do programa DANCE BRASIL.

Para reproduzir as matérias basta somente dar crédito à Agência Dance Brasil.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s